Governo e Câmara  não terão reposição salarial 

Governo e Câmara  não terão reposição salarial 

5 de junho de 2018 0 Por prefeiturasa

O Governo Municipal, em consenso com o Poder Legislativo de Santo Ângelo, vai vetar os projetos de lei que previam o reajuste de 2,68% no subsídio dos vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários municipais.

Mesmo entendendo que reposição salarial seja um direito constitucional – referente à inflação anual medida pelo Índice Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) -, Executivo e Legislativo optaram pelo congelamento dos vencimentos do prefeito, vice, vereadores e secretários municipais. Apenas o funcionalismo público municipal receberá o reajuste.

Everaldo de Oliveira, presidente da Câmara, afirmou que o recuo se deu após reunião entre os vereadores favoráveis a reposição e o prefeito Jacques Barbosa. Todos se mostraram sensibilizados com o momento econômico que vive o País, o Estado e os municípios brasileiros: “Governamos atentos aos anseios da sociedade local, com bom senso e nós, Executivo e Legislativo, entendemos que, mesmo sendo uma reposição de vencimentos constitucional e não abusiva, neste momento de austeridade o reajuste não atende ao interesse público”, afirmou o prefeito.

Durante reunião com os vereadores, Jacques também lembrou que em 2017, primeiro ano de gestão, não houve reposição inflacionária em seus subsídios, tampouco nos vencimentos do vice-prefeito, dos secretários e dos vereadores.

REAJUSTE DOS SERVIDORES

Em 2017, os servidores públicos municipais receberam 7% de reajuste em seus vencimentos. Neste ano, o Governo Municipal repassou a perda inflacionária acumulada do período de 2,68% como reposição salarial aos servidores. Além disso, em abril, os vereadores aprovaram Projeto do Executivo Municipal que corrigiu distorções no valor dos vencimentos do quadro geral de servidores dos padrões 1, 2 e 3.